A mulher transparente

Olhar para ver é um acto diário de resistência. Contar a violência pelos olhos da vítima é um exercício brutal, mostrar uma imagem inteira dessa pessoa e com isso aproximá-la do leitor para que não possa ser ignorada e se torne inescapável é fazer um delicado trapezismo na corda das emoções que a violência doméstica … More A mulher transparente

A puta – Momento obsceno e recorrendo a vernáculo

Estou a escrever sobre mulheres que decidiram que não seriam nem vítimas, nem coitadas. Em comum há uma história de abuso e de violência física e verbal.  É sobre a verbal que me vou debruçar agora, em traços breves, pois a palavra pode deformar mais que o soco.  Quando um homem (quando alguns homens para … More A puta – Momento obsceno e recorrendo a vernáculo

Machos latinos

1. Declaração de interesses: este é um tema que me deixa fora de mim. Falo da violência contra mulheres e de uma sociedade misógina em que os maus tratos ainda continuam a ser desculpabilizados ou tratados como uma ofensa menor. A cabecinha de muito boa gente (mulheres inclusive infelizmente ) alberga um macho que acha … More Machos latinos

A banalidade da morte como catarse

“Pelo Meu Relógio São Horas de Matar” é o título do novo álbum da banda rock  alternativa portuguesa  Mão Morta. No vídeoclip de” Horas de Matar” pode ver-se o vocalista Adolfo Luxúria Canibal de revólver na mão, disparando sobre bancários, padres, políticos. Pessoas que deixam de ser pessoas e são esvaziadas da sua humanidade, logo … More A banalidade da morte como catarse

O que vale uma vida? Não, o que vale a vida de uma negra?

“Não há nada mais triste do que enterro de pobre, porque pobre começa a ser enterrado em vida”.è com palavras que a escritora e jornalista brasileira Eliane Brum abre uma reportagem publicada em 1999, no jornal Zero Hora, de Porto Alegre. Cláudia da Silva Ferreira era auxiliar de limpeza, condenada a  vender   barato o seu … More O que vale uma vida? Não, o que vale a vida de uma negra?

Catembe-Maputo: isto é uma história de mulheres

Não é fácil tocar-lhe no verdadeiro rosto. É uma cortesã envelhecida, feita de contrassensos. Deslumbrante e amarga. Maputo é uma mulher suspensa a quem cabe a resignação de esperar, sem saber por que e pelo que se espera. Qual a vida que se imagina quando as esperanças se desvanecem a cada manhã?Maputo não se percorre … More Catembe-Maputo: isto é uma história de mulheres

Público – E se falássemos um pouco de bullying?

Público – E se falássemos um pouco de bullying?. Chocou a indiferença com que a Escola Luciano Cordeiro de Mirandela reagiu à morte de Leandro. Refugiando-se no silêncio quando estava em causa a morte de um dos seus, a escola estava a dizer que não era uma comunidade. Em Rio de Mouro, os sinais de … More Público – E se falássemos um pouco de bullying?

Não é bullying, é mesmo má educação.

O que se passa nas escolas portuguesas não é nada de novo e em simultâneo é algo aterrador. Alunos tiranos que tiranizam colegas e professores. Professores desautorizados. Professores que substituem a família. Pais alheios por conivência, conveniência ou indiferença. Nada de novo, porque sucede há anos. Foram precisas duas mortes violentas – a do aluno … More Não é bullying, é mesmo má educação.