Crónicas de viagem (3) – Postais de Nakifulube)

Almocei na berma da estrada (ugali, feijões guisados picantes, banana frita acompanhados pela inevitável coca-cola). Estou alojada na margem do lago Vitória, o maior lago do continente africano, maior lago tropical no mundo e com uma área equivalente à da Irlanda. Um horizonte infinito. Ontem tomei a decisão certa ao não ter continuado viagem. A … More Crónicas de viagem (3) – Postais de Nakifulube)

Crónicas de viagem ( 1) – Bruxelas – Entebbe

Neva em Bruxelas. Muito. Fui tomar um cappuccino antes de embarcar, à minha frente o Tim pedia dois latte. Teve dificuldade em equilibra-los numa mão enquanto noutra mantinha segurava a metralhadora. A nova normalidade é conversar num café de aeroporto com um soldado pesadamente armado. São simpáticos e prestáveis os militares no aeroporto. Leio uma … More Crónicas de viagem ( 1) – Bruxelas – Entebbe

Um americano em Gulu ou reflexões sobre refugiados em volta de uma chávena de café

Quando o dia começa a dar sinais de cansaço caminho pelas ruas de Gulu misturando-me com os locais. Já conheço os atalhos que me levam ao centro da cidade.  Tattatatatatum. Um jovem homem em tronco nu, músculos tensos como a corda de arco, sentado na terra batida martela uma chapa zincada. Os últimos raios do … More Um americano em Gulu ou reflexões sobre refugiados em volta de uma chávena de café

24 horas, 3 países e a teoria dos seis graus de separação. 

Coloquei na mala no último instante um romance comprado há muito e que quedava por abrir. O parágrafo inicial contém a frase maravilhosa de Elias Canetti, “as interruptas idas e vindas do tigre diante dos barrotes da jaula para não que se lhe escape o único e brevíssimo instante da salvação”. De alguma maneira todos … More 24 horas, 3 países e a teoria dos seis graus de separação.