Baixio das Bestas

Um filme que todos deveriam ver, e no todos incluo aqueles que se interessam por direitos humanos e por vitimologia, é o “Baixio das Bestas”, de 2006, realizado por Cláudio Assis. A obra, baseada em histórias reais, recebeu prémios nos circuitos nacional e internacional de cinema, incluindo o Tiger Award, maior prémio do Festival Internacional … More Baixio das Bestas

Da série mulheres extraordinárias ( e ainda pouco reconhecidas):

Os nazis consideravam Virginia Hall o “mais perigoso de todos os espiões aliados”, mas a história da “Dama Manca” ainda é amplamente desconhecida. Hall passou quase toda a guerra na França, primeiro como espia do recém-formado SOE da Grã-Bretanha e depois para o Departamento de Operações Especiais (OSS) dos EUA. Nem a sua perna protética … More Da série mulheres extraordinárias ( e ainda pouco reconhecidas):

A mulher transparente

Olhar para ver é um acto diário de resistência. Contar a violência pelos olhos da vítima é um exercício brutal, mostrar uma imagem inteira dessa pessoa e com isso aproximá-la do leitor para que não possa ser ignorada e se torne inescapável é fazer um delicado trapezismo na corda das emoções que a violência doméstica … More A mulher transparente

Da grandeza: 

Hesitante entrou numa cadeia de fastfood alemã que serve peixe. Era um desses dias claros e de termómetro benevolente. A velha senhora era alta, vestida de branco. Cabelo alvo, penteado com aprumo e preso por ganchos. Encomendou a refeição e sentou-se, com dificuldade. Deve ter sido uma mulher belíssima. Ainda o é no Inverno da … More Da grandeza: 

As horas comuns

Num dia comum em Ajdabya, nordeste da Líbia, os homens que guardam o campo bebem e fumam cannabis. Depois entram no campo e escolhem o troféu que querem.  Ramya, uma belíssima eritreia de 22 anos conta “com uma arma apontada à cabeca não tens grande hipótese de resistir se queres sobreviver. Fui violada duas vezes … More As horas comuns

Conto de Ano Novo

Havia um muro de pedra que bordava o caminho. Bordava e ainda borda. Eu é não passo naquele caminho há muito tempo, nem vejo a silhueta do muro recortada contra o céu a despedir-se da noite. Nem prendo o olhar nas maçãs bravo-de-esmolfe, nos  medronheiros  ou no pessegueiro ao fundo. Era véspera de Ano Novo. … More Conto de Ano Novo

A puta – Momento obsceno e recorrendo a vernáculo

Estou a escrever sobre mulheres que decidiram que não seriam nem vítimas, nem coitadas. Em comum há uma história de abuso e de violência física e verbal.  É sobre a verbal que me vou debruçar agora, em traços breves, pois a palavra pode deformar mais que o soco.  Quando um homem (quando alguns homens para … More A puta – Momento obsceno e recorrendo a vernáculo

Book a Tiger

1. Como em tudo na vida, no Facebook também é preciso moderação no consumo. Tome-se o caso de hoje. O certamente bem intencionado algoritmo recomendou-me a página “Book a Tiger”. Tocou de imediato uma sirene na minha cabeça. Que proposta era aquela? Desconfio do algoritmo do Facebook desde que me aconselhou vários desportos radicais. Onde … More Book a Tiger

Advertências sobre (os escrúpulos da) a fantasia*

Quem nunca sentiu a necessidade de dar sentido à própria vida, mesmo que temporariamente, ou revivê-la? Sou depositária de uma história que me pediram para escrever. Sem julgamentos morais. Os envolvidos traziam consigo a urgência de narrar, de a projectar para além do tempo, do espaço, da precariedade do encontro, procurando habitar o presente absoluto. … More Advertências sobre (os escrúpulos da) a fantasia*

Eis a coutada do macho ibérico no seu esplendor

1. Gosto de desafios. Por isso falemos da hamletiana questão: ter ou não ter tempo. E não é uma questão de ter ou não ter mais rugas ou ver a gravidade surtir o seu efeito, mas o desejo (impossível ?) de construir a vida por um processo de redução. Num jornal português, uma personalidade conhecida … More Eis a coutada do macho ibérico no seu esplendor

Barbárie

Há coisas terrivelmente simples: na maioria dos países islâmicos as mulheres não possuem direitos. A vida pública é-lhes (praticamente) negada, são vítimas de toda a espécie de humilhações desde a obediência cega ao homem que não escolheram à mutilação genital até ao apedrejamento até à morte. Hoje foi disponibilizado um vídeo na internet – para o qual … More Barbárie

Porque é que as mulheres querem falar sempre sobre tudo?

O que pode dizer a um homem após o sexo? O que se quiser. Ele está a dormir. A piada é recorrente entre terapeutas e é um raio X daquilo que distingue homens e mulheres. No caso das mulheres o ser-se íntimo de alguém envolve partilha. As mulheres não se sentem bem na solidão acompanhada. … More Porque é que as mulheres querem falar sempre sobre tudo?

Maputo by night

É já noite no Índico. A temperatura desceu um pouco. Estou sentada no Jacarandá, num jantar leve, bem-disposto. As palavras são como a castanha de caju, é só começar. Tocam levemente a política e os interesses portugueses em Moçambique, as desavenças no PS e daí resvalam para magnificência da vida selvagem. A política não dista … More Maputo by night

Catembe-Maputo: isto é uma história de mulheres

Não é fácil tocar-lhe no verdadeiro rosto. É uma cortesã envelhecida, feita de contrassensos. Deslumbrante e amarga. Maputo é uma mulher suspensa a quem cabe a resignação de esperar, sem saber por que e pelo que se espera. Qual a vida que se imagina quando as esperanças se desvanecem a cada manhã?Maputo não se percorre … More Catembe-Maputo: isto é uma história de mulheres

A união faz a força ? Digam isso às mulheres…

Em a Insustentável Leveza do Ser Milan Kundera escreveu que o abismo maior é o da cama de casal, entre dois corpos, o da mulher e do marido. Talvez. Tenho para mim que os maiores abismos e as traições mais obscenas nas relações humanas são entre mulheres. Entre as leoas solitárias que não dão direito … More A união faz a força ? Digam isso às mulheres…

Nunde ña diritu

Não há como uma boa notícia para encher de sol os dias pardos. Em pleno centro de Bissau, como um rasgão azul na paisagem urbana, naquela que foi a Primeira Esquadra, a mais antiga esquadra do país, abre hoje as portas a Casa dos Direitos da Guiné-Bissau. Espaço que funcionará como um centro de documentação, … More Nunde ña diritu

Cabul aqui ao lado

Lembrar é, cada vez mais não recordar apenas uma história, mas ser capaz de recordar uma imagem. Momento embalsamado que nos persegue. Que se fixa na retina. Coleccionei algumas imagens assim, que nunca me deixam. Agora que Cabul se vai mudar para Bona, para aqui bem ao lado da rádio, a pretexto da Conferência sobre … More Cabul aqui ao lado

Machos

Quando as mãos deixam de circunavegar o corpo. Quando a paixão se desbota e se reedita a existência, as lágrimas lavam a poeira dos olhos, mas haverá cílios que apaguem as poeiras do coração, que amachuquem o silêncio, que contestem a secreta desistência de si? “A gente fere a terra para semear, a gente magoa … More Machos