O regresso 

Era tão bom poder meter no bolso o ar da praia onde escrevo, o ar da praia quando o horizonte muda de cor, e respirá-lo pelas manhãs devagarinho. Seria parecido com as espirais ténues que continuam a sair pelos frascos de perfume vazios. Sal, pinheiros e uma quase vontade de chorar.  Quando as circunstâncias me … More O regresso 

Diário de Lisboa

Escrevo sentada na Biblioteca da Fundação Calouste Gulbenkian, um dos meus locais preferidos em Lisboa. Pela janela observo o sol luminoso espalhando diamantes na vegetação e na superfície da água lisa como um chão. Deslumbramento que contraria o calendário que onde se escreve Janeiro. Sinto-me como os cafeeiros ao peso das bagas vermelhas. Plena. Por … More Diário de Lisboa

Coisas que me apoquentam ou post sem nenhum interesse particular

Há dias em que uma pessoa sente que não se devia ter levantado da cama ( às 4.30 da madrugada.Ohmmm).Em particular depois de ter estado a ler, “Kongo: Eine Geschichte”, até ser derrotada pelo sono. Arrastei-me dos lençóis quentinhos para os nove graus exteriores, NOVE, e sem tomar café porque a máquina de café, avariada, … More Coisas que me apoquentam ou post sem nenhum interesse particular

A viagem I

No momento que escrevo estou sentada no Starbucks do aeroporto de Bona a saborear um cappuccino e a apreciar um daqueles momentos Ohmmmm. Momentos que põem tudo em proporção. Dizer que os últimos dias foram de loucos seria pecar por defeito. Trabalho, preparação da(s)viagem(s), as miúdas, dois concertos ( um onde a mais velha tocou … More A viagem I

Portugal, o imperfeito

O português anda triste. Prenhe de um cansaço que pesa mais que o corpo. Tutela a vida ao medo de perder o emprego, a casa, o empréstimo. O orgulho nacional tornou-se numa frágil muralha onde todos os dias se abrem pequenas brechas. Olha-se para Portugal e país parece ter fechado para balanço. Sucumbindo ao exercício … More Portugal, o imperfeito

Pastel de saudade

 Os cupcakes podem até estar na moda. Podem até ser chiquérrimos como as gajas do Sex and the City (que se os comessem como dizem não teriam a figura que têm…). Mas,  para mim não passam de queques anémicos, pop art,  carregados de creme com corantes.   Se é para meter o dente numa bomba calórica  então que  se … More Pastel de saudade