O estado da Europa

Jean-Claude Juncker tomou hoje o pulso à Europa num discurso perante o Parlamento Europeu. Entre outras propostas afirmou que em 2019, todos os países da UE devem estar na zona euro, no espaço de Schengen (zona de livre circulação) e na união bancária. Ou seja propõe uma Europa a uma velocidade, tarefa que o Brexit … More O estado da Europa

Merkel, a Europa. Uma história de amor.

     Goethe considerava-o um semi-deus. Refiro-me a Napoleão. Para o ministro das Finanças alemão, Wolfgang Schäuble, a chanceler é maior do que o imperador francês. Não deixa de ter alguma razão. Ambos são resultado de uma revolução, Napoleão dominou a política francesa durante 16 anos, Merkel  conta 12, a Rússia tem um papel central na … More Merkel, a Europa. Uma história de amor.

Da série: o próximo governo alemão

Fixem esta cara. Se Angela Merkel ganhar as legislativas de domingo este será o Senhor dos Anéis, perdão (com grande probabilidade) o próximo Ministro das Finanças germânico. Poucos conhecem as finanças alemãs como ele (serviu Waigel, Lafontaine, Eichel, Steinbrück e Schäuble), poucos terão a sua capacidade de trabalho (em média 18 horas), poucos poderão ser … More Da série: o próximo governo alemão

Uma fábula de Lafontaine (o alemão)

Acompanhei com estupefacção as notícias que foram publicadas em vários jornais portugueses sobre o “fundador” do euro Oskar Lafontaine. Copio as notas breves que escrevi no meu Facebook pessoal porque vale a pena, na minha opinião, dar algum contexto. a) o ex-presidente do Deutsche Bank, Joseph Ackermann, disse numa entrevista à Der Spiegel que depois … More Uma fábula de Lafontaine (o alemão)

A morte e os impostos são as duas únicas certezas. Será?

As palavras de Christine Lagarde sobre a fuga ao fisco grega causaram uma onda de indignação. A condenação dos termos em que a chefe do FMI se pronunciou, particularmente a demagogia fácil com as criancinhas africanas, não nos deve fazer esquecer, no entanto, que no cerne da questão ela está certa. Anualmente, e quem o … More A morte e os impostos são as duas únicas certezas. Será?