Conto de Ano Novo

Havia um muro de pedra que bordava o caminho. Bordava e ainda borda. Eu é não passo naquele caminho há muito tempo, nem vejo a silhueta do muro recortada contra o céu a despedir-se da noite. Nem prendo o olhar nas maçãs bravo-de-esmolfe, nos  medronheiros  ou no pessegueiro ao fundo. Era véspera de Ano Novo. … More Conto de Ano Novo

Dos amores pequenos

“Há de se querer o amanhã”, escreveu no belo poema “Mulher”, Carlos Drummond de Andrade. Por vezes penso  que descobrimos tarde demais na nossa vida três artes: a cozinha, a música e o amor completo. A cozinha não se revela na sua delicadeza e perfeição no ambiente asséptico e formatado da bimby. É um amor … More Dos amores pequenos