O poder do elogio

  Por vezes andamos às voltas com o comprimento da vida, sempre breve, tão breve, que nos esquecemos de dar largura à sua existência. Que sejam desiguais as contas. Por cada crítica feita, dois elogios. Por cada amargura, dois abraços. Por cada esquecimento, dois sorrisos rasgados. Ao acendermos a luz no outro, não deixamos que a nossa … More O poder do elogio

Os mortos

Convivem a paredes meias nos classificados dos jornais: a morte e o amor descartável, desse baratinho e sem qualquer réstia de beleza. Confesso, sou viciada nestas secções. Leio os elogios póstumos separando-os nas categorias “de pacotilha” – circunspectos e aborrecidos, não mereceria o morto melhor? A dor paralisa? – e “de coração” – onde cabe … More Os mortos

Pipocas

            No português melodioso do Brasil há palavras que nós portugueses não usamos e onde cabem mundos.  Hoje descobri uma nova. Piruá. É o nome dado aos grãos de milho que não rebentam, não se transformando em pipocas.  O autor brasileiro Ruben Alves escreveu que “tem muita gente piruá neste planeta”. Pessoas que não … More Pipocas

Dos amores pequenos

“Há de se querer o amanhã”, escreveu no belo poema “Mulher”, Carlos Drummond de Andrade. Por vezes penso  que descobrimos tarde demais na nossa vida três artes: a cozinha, a música e o amor completo. A cozinha não se revela na sua delicadeza e perfeição no ambiente asséptico e formatado da bimby. É um amor … More Dos amores pequenos

Das notícias que nos arrancam um sorriso

Com invejáveis 109 anos Alfred Date não é apenas o homem mais velho da Austrália, mas também tem uma dos mais extraordinários hobbies: tricotar camisolas para pinguins. Como consequência da catástrofe petrolífera de 2013 no Great Barrier Reef,muitos pinguins perderam a pelagem e eram incapazes de se manter quentes. Respondendo ao apelo de uma organização … More Das notícias que nos arrancam um sorriso

Advertências sobre (os escrúpulos da) a fantasia*

Quem nunca sentiu a necessidade de dar sentido à própria vida, mesmo que temporariamente, ou revivê-la? Sou depositária de uma história que me pediram para escrever. Sem julgamentos morais. Os envolvidos traziam consigo a urgência de narrar, de a projectar para além do tempo, do espaço, da precariedade do encontro, procurando habitar o presente absoluto. … More Advertências sobre (os escrúpulos da) a fantasia*

Estados de alma

A estrada tornou-se num assombroso lugar, tomada pelo modo intranquilo da chuva. Sufocam-me as fragas do Marão e a cortina de água, o ramo de um braço de vento quase me atira da pista. Na rádio Anselmo Ralph canta “tu para mim és a única mulher que me completa”, com igual generosidade para todas as … More Estados de alma