Ackchwurly….

O Manglish (inglês malaio) é uma das coisas mais divertidas que existe. Além dos pronomes e dos tempos verbais serem descartados a pronúncia de certas palavras torna-as quase irreconhecíveis. Alguns exemplos: Baiwanfriwan ( buy one and you get one free)  Ackchwurly (actually) Ou a minha favorita: Debladigarmen (the bloody goverment) As conversas com taxistas são … More Ackchwurly….

Diz-me a música do teu telemóvel, dir-te-ei quem és

Corria a manhã amena, o banalíssimo quadro do quotidiano foi interrompido por erupções da fantasia mais delirante. E a culpa é dela, da S. que partilha comigo o gabinete. Do nada demos por nós na Buenos Aires do início do século XX, que se assemelhava a uma grande capital de província, povoada de imigrantes oriundos … More Diz-me a música do teu telemóvel, dir-te-ei quem és

Carta de despedida

Algo precisa ser feito quando o vazio nos ronda com sua lucidez implacável. Escrevo-te.  Não sei em que momento comecei a perder-te, nem tão pouco como sucedeu esta lenta despedida. O único que sinto é a tua ausência e ainda nem parti. Nunca tive jeito para dizer adeus e é o que tenho feito nos … More Carta de despedida

A avó – histórias do Bangladesh 

Espiãs, contrabandistas de armas, combatentes. Violadas. A história da guerra da independência do Bangladesh, em 1971, que fez 3 milhões de mortos em 9 nove meses de conflito, também se escreve no feminino. Durante esse período 250 mil mulheres foram violadas pelo exército paquistanês, que usando a violação como arma de guerra tentou alterar permanentemente … More A avó – histórias do Bangladesh