Missão “Ucrânia aqui tão perto” ( take 0)

Conhecemos os nomes todos das notícias. Habituámo-nos a ouvi-los diariamente. Projectamos neles os nossos medos.
Conseguimos imaginar as noites cerradas de Kyiv, de Mariupol, de Lviv.
Não são geopolítica, nem geoestratégia. Têm espessura, rosto. São pessoas agitadas sem bússola onde repousem. Tentemos ser bússola para alguns deles.

Quando o Renato, meu amigo de sempre, me pediu um lugar para dormir na Alemanha para um grupo de voluntários portugueses que buscar refugiados ucranianos disse-lhe “eu também vou”. Sem pensar muito, nem era preciso, a decisão nasceu em mim.

Pedi férias na empresa e a empresa ofereceu-me os dias necessários e carro para a viagem.

As coisas fluíram naturalmente como se uma viagem de quase quatro mil quilómetros até uma localidade polaca de nome impronunciável na fronteira com a Ucrânia sem dia para voltar fosse habitual. Não vivemos horas comuns. As horas sombrias pedem-nos que coloquemos em prática a compaixão.

Pedi medicamentos para levar. Conhecidos e desconhecidos deixaram na empresa medicamentos. Levamos um carregamento deles. Não me recordo de uma movimentação assim da sociedade portuguesa desde Timor.

Fui buscar o meu casaco mais grosso, usei-o pela última vez em Varsóvia num Janeiro gélido. Arrumei as luvas e o gorro. A Marta emprestou-me um saco cama. Até à fronteira polaca dormiremos no chão em missões católicas, salões paroquiais, talvez um hotel barato. A flexibilidade será o mote.

Cada um dos voluntários desta improvisada “ Missão Ucrânia” mobilizou os seus amigos e conhecidos para esta operação de resgate. Une os que partirão e os que ficam na retaguarda o mesmo desejo: devolver um pouco de dignidade aos que trouxermos connosco para Lisboa.

No meu caderninho de palavras emprestadas há uma em quimbundo que me fascina: “muxima” que significa coração. O que nos faz ser pessoa, não é um passaporte ou uma identificação, mas o que não cabe dentro dele.

Sábado de madrugada arrancamos rumo à Polónia. Irei dando notícias e conto com as vossas orações.


One thought on “Missão “Ucrânia aqui tão perto” ( take 0)

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s