Meninos das minas: sem infância e sem futuro

A montanha começa a cuspir homens azuis, cobertos de pó de estanho. Alguns não são bem azuis mas acinzentados, alguns não são bem homens mas crianças, meninas e meninos.

A. tem 14 anos e entra na mina todas as noites. O Cerro Rico de Potosí é uma das minas mais perigosas do mundo. Durante doze horas empurra vagonetas cheias de pedras. Por essas doze horas recebe menos de 3 euros diários, quatro vezes menos do um adulto.

A. tem medo que se volte o carro e fique esmagada, tem medo dos lugares tão estreitos da mina onde se tem que pôr de cócoras para avançar, tem medo da silicosis (a doença dos mineiros que matou o pai num terramoto de tosse e sangue, a maioria dos mineiros não passa dos 35 anos), tem medo que algum mineiro a viole ( duas amigas duas de 12 e 13 anos tiveram filhos por esse motivo).

Há todavia um pesadelo maior que a atormenta: “há poucos dias morreu um bebé em Pailaviri porque não tinha que comer. O meu irmão mais novo tem quatro anos.”

Quando sai da mina, depois de trabalhar toda a noite, não se mete na cama onde dorme, sob uma placa de zinco, com a mãe e o irmão, menos apertados agora porque dois irmãos emigraram. Troca a cama por um pequeno almoço numa ONG local e por fazer os trabalhos de casa. “Tenho que estudar para ter uma profissão. É a única maneira de salvar a minha mãe e o meu irmão da mina”.

Com as mãos gretadas, envelhecidas, folheia as páginas de um livro de contos de fadas. Mesmo nos cantos mais danados o sonho é subversivo. “A escola não fácil, às vezes adormeço”.

PS- Há segundo a UNICEF quase quatro mil de adolescentes bolivianos a trabalhar nas minas, outras fontes referem-se a dezenas de milhar.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s