O dia em que vi um leopardo duas vezes

De repente ali estava ele no meio do verde sumarento da savana em época de chuva, a interrogar o horizonte. No cimo da colina as impalas não desviavam o olhar. Foram elas que deram o alerta, sempre que uma impala ou um a gazela olha estarrecida numa direcção é porque no prolongamento do olhar se enconde um felino. O Ashley pára o jipe. Partilhamos o silêncio e o deslumbramento. Tomamo-nos vagares. Olho o leopardo nos olhos. Está ferido. A selva, como a vida, é impiedosa até para predadores. Só então pego na máquina fotográfica. Clic,clic,clic,clic. 

Fico presa ao fascínio daquele animal poderoso e à sua solidão. Não acredito na minha sorte. A caminho da pista de terra batida onde aterrará o minúsculo Canadair que me levará de regresso  a Nairobi cruza-se no meu caminho o leopardo, o segundo no mesmo dia. Há sítios de onde não nos apetece sair e há dias raros. Hoje foi um deles. 

Acordei antes do nascer do sol porque a partida para o safari aconteceria a uma hora “em que os próprios animais ainda estariam a dormir”, brincou o guia. Tomei um duche de água gelada que me arrepiou a pele e despertou os sentidos. 

Tinha chovido na véspera e as picadas no Masai Mara estavam húmidas e com aquele cheiro de terra molhada que troco por qualquer perfume. 

O céu plúmbeo vestiu-se de azul-mais-que-perfeito com o despertar do sol. Deambulámos aos solavancos, atravessámos o Tarek , um mundo extraordinário desenhava-se à nossa passagem e antes do pequeno almoço já tinha visto os Big Five – elefante, búfalo, rinceronte, leão e leopardo. O que me marcou para sempre nesta manhã foi a graciosidade das crias de leão e o leopardo, magestoso, sensual. “You lucky girl”, disse-me o Ashley, premonitório. 

Os lugares podem ser adjectivos, os dias por vezes também,  o adjectivo com que visto o dia: deslumbrante. 

Como escreveu o Mia Couto, “não é o voarmos sobre os lugares que marca a memória” – embora seja singular sobrevoar o Masai Mara- “ é o quanto esseslugares continuarão voando dentro de nós”.

Eu tive uma tenda com vista para o rio Mara e hipopótamos que me despertavam e vi duas vezes leopardos no mesmo dia. Fiquei cativa, mas tão leve.


( as fotografias são minhas e têm copyright)

Advertisements

One thought on “O dia em que vi um leopardo duas vezes

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s