O cheiro 

Lembram-se da madalena molhada no chá de Proust? E da associação de memórias que o prazer daquele momento desencadeou? 

Todos nós temos o nosso “momento madalena” em que um dos nossos sentidos nos transporta a algum lugar. De todos eles o que maior poder de evocação tem é o olfacto. 
Os estudos demonstram que as pessoas recordam 1 por cento do que tocam, 2 por cento do que ouvem, 5 por cento do que vêem e 35 por cento do que cheiram. Instintivamente as mães estão sempre a cheirar a cabeça dos bebés e poucos são os que não sorriem com o cheiro de um bolo saído do forno,de pão fresco, de roupa de cama lavada e de terra molhada. E que seria da poesia e do amor sem o cheiro. Quem, num período de coma amoroso, nunca ficou paralisado ao cruzar-se com alguém que trazia o perfume da pessoa amada? 

O nosso olhar vê o visível, mas o olfacto vê o invisível. Numa entrevista dada há  uns anos o poeta e padre José Tolentino Mendonça dizia, “há antropólogos que criticam a sociedade norte-americana dizendo que é uma sociedade que procura uma neutralidade em relação ao cheiro. Há uma indústria dos perfumes, dos incensos, dos desodorizantes. Enquanto outras sociedades, por exemplo, as muçulmanas, as orientais, são sociedades que vivem muito mais na rua, que cozinham na rua, onde o cheiro faz parte do quotidiano. Nós segmentamos muito os cheiros e procuramos quase um estado inodoro. E isso também diz muito da artificialidade com que vivemos.

Muitas vezes, o que a nossa casa precisa é que abramos a janela, em vez de estarmos exasperadamente a introduzir um novo purificador do ar. Precisamos de uma boa corrente de ar. E isso é uma metáfora para a própria vida”. E essa corrente de ar vem com cheiro a vida.

Ps – Tudo isto vem a propósito de uma canção muito em voga entre os adolescentes alemães, ” Ich will nur das du weisst”, “quero apenas que saibas”. A canção é um conto de amor moderno: ele vê que ela está online (mas não lhe escreve)  e ele desespera, ele escreve cartas de amor e poemas que amarrota, passa pela casa dela só para ver se ela está, fica sem respiração quando encontra outra com o nome dela é paralisa quando outra tem o mesmo perfume. Como a canção toca em loop cá em casa suscitou-me este post. 


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s