Tanta maminha já cansa

Uma expressão facial diz tudo
Uma expressão facial diz tudo

A cena repete-se em Moscovo, no Vaticano, em Hannover e até em frente à Assembleia da República lisboeta. Mulheres atraentes, geralmente jovens, desnudam os seios como forma de protesto. O argumento, a discussão passaram a parecer antiquados, austeros, conservadores, assim uma espécie de snobismo. É cada vez maior a resistência à” ideia”. Troca-se pelo entretenimento.

Na minha concepção a permanência e consequente banalização não é um dos atributos mais óbvios de um protesto. Incomoda-me neste tipo de protesto, não o nu ou corpo, o estético e o ético não são necessariamente pólos opostos, mas a colonização do corpo por  um discurso que sendo supostamente feminista nada mais faz do que metaforizar o seio, aviltando-o como um objecto.

Arrisco dizer que estas neo-feministas de maminha ao léu, tratadas com condescendência pelos media, sex sells, na verdade são mais misógenas que muitos marialvas. Reduzem a mulher a um par de mamas e de nádegas, incorrem no narcisismo e na frivolidade. E ainda querem ser levadas a sério?

Notas finais: Tomara eu ter à minha frente vários Clooneys a protestar em pelo contra [preencha-se a gosto ] deste mundo. Ia mudar a minha opinião? Provavelmente não, mas que enchia os olhos enchia.

Desde Lady Godiva, há mil anos, que protestos exibindo nudez não constituem novidade. As noções usurpadoras são risíveis a realidade é  complexa e não binária. Não gosto de ti, toma lá maminhas.  Meninas a intenção é boa, mas tanta maminha já cansa.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s