Porque eles não são números

A imagem  é de 1984, de um campo de refugiados na Etiópia visto pela lente de Sebastião Salgado.

Tenho uma enorme dificuldade em olhar para ela. Angustia-me, inquieta-me. Penso nas vidas adiadas, nos desertos e campos de refugiados para lá do mundo e do mundo confortável que não os quer, imbuído que está na individualidade e impessoalidade extremas. Penso nas  vidas feitas  de fome, frio, violência, doença e morte. No Darfur, no Uganda, na República Democrática do Congo, na Somália. E naqueles que chegam à fortaleza Europa.

Bento XVI recordou hoje no Vaticano que os clandestinos, os refugiados, os migrantes”não são números”, são pessoas. Amar o outro é  ter a capacidade de olhar para o já visto, e nos incomoda,  para o  já nomeado, e arquivado nos esconsos da memória, como se não o conhecêssemos. Desviar o olhar mata.

Anúncios

One thought on “Porque eles não são números

  1. Hoje passou um filme que pretende homenagear os refugiados, os famintos, os oprimidos e as pessoas que tentam aliviar o seu sofrimento – Beyond Borders. Que já conhecia e que me impressionou pela desumanidade em que vivem milhões de pessoas e pelo humanismo do médico (que bela personagem, a de Clive Owen).
    Belo texto, bela reflexão, bela coincidência.

    Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s