Matemática e chicotadas

Este episódio passado numa escola norte-americana não é um “fait-divers” ridículo, mas sim um revelador eloquente do racismo subcutâneo e primário que grassa nalguns americanos.

Aparentemente a ideia era incentivar os alunos usando exercícios criativos, o que podia até ser louvável. Só que a criatividade não legitima o disparate. Passemos aos factos. Numa escola primária de Gwinnett County, na Geórgia, os alunos da terceira classe levaram para casa um grotesco exercício de matemática: “ se o Frederico* for punido/chicoteado duas vezes por dia quantas pancadas/chicotadas recebe ao longo de uma semana/duas semanas?”.

 A reacção indignada dos pais não tardou a fazer-se sentir. “Nós não queremos que os nossos filhos sejam expostos a este tipo de perguntas. Eu não acredito que os professores responsáveis não soubessem o que estavam a fazer”, disse um pai à CBS News.

Respondendo às críticas a porta-voz das autoridades escolares do condado, os professores sabiam o que faziam, trata-se de uma tentativa de interdisciplinariedade associando matemática à história, e que “não tinham intenção de ofender ninguém”. Como se assim pudessem ser desculpados.

 Neste condado da Geórgia não é a primeira vez que episódios deste tipo sucedem. Numa outra escola primária os alunos foram confrontados com um teste de inglês de perguntas de múltipla escolha. Uma das perguntas era a seguinte: “ O que se faz nos Estados Unidos com “aliens ilegais” (nos EUA um estrangeiro com autorização de residência é um “legal alien” e um sem papéis um “ilegal alien”)? Duas das respostas possíveis: “ Enviam-nos para o espaço”, “Fuzilam-nos”. Mais rasteiro que isto?

* O Frederico era segundo o enunciado do teste um escravo. 

Anúncios

7 thoughts on “Matemática e chicotadas

  1. Francamente, não percebo o que está errado na pergunta. Pode explicar-me? Onde é que está o “racismo subcutâneo e primário” no facto de o Frederico ser punido (talvez pelos seus próprios pais) duas vezes por dia?

    Gostar

  2. Gostei da reflexão e alerta, porque tudo isto entra na culturalidade/mentalidade dos indivíduos, sobretudo em tenras idades
    ( primária ). Não se deixem escravizar. Todos temos direitos humanos e sobretudo proteger as crianças destas influências escolares.
    Muito Bem!

    Gostar

  3. Helena, já cá tinha estado antes – tb, como o Luís, não tinha percebido mt bem. Agora, sim, está mais que explicado- e se não tinha gostado do exemplo antes, porque era focar a violência, agora é simplesmente hediondo. Como é possível centrar um exercício numa forma de opressão de tríste memória e que se quer passada? Atenção que há mts manifestações de racismo nas escolas, não é só nos EUA, já presenciei eu própria algs situações, infelizmente, e no presente. De repudiar, totalmente. O enunciado e a intolerância que persiste…

    Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s