Meninos de ninguém

 

Nenhum outro continente tem sido tão usado, explorado e mal interpretado. Marionete das vontades e  avidez de outros, do colonialismo ao teatro  da  guerra-fria, até ao actual capitalismo selvagem de matriz africana. Perceber a África é compreender o mundo  cínico e egoísta no qual vivemos.

Em cidades africanas, como Luanda,  coabitam o brilho metálico das torres e decadendentismo do iates,  com aqueles que diariamente procuram uma sombra, àgua para beber e milho para comer. O Eldorado é para uns poucos, para outros sobra a promessa. Enquanto a “princesa” Isabel (e o clan dos Santos) enriquece diariamente,  as  crianças em Angola são exploradas das piores formas, como se escreve no  relatório, hoje publicado, “2009 Finding on the Worst Forms of Child Labor”, elaborado pelo departamento norte-americano do Trabalho. Crianças de desprovidas de tudo num país escandalosamente rico.


One thought on “Meninos de ninguém

  1. Esse é o titulo de uma peça de teatro do grupo moçambicano “Mutumbela Gogo”, deve ter cerca de 20 anos. Lembro-me até da canção que todos os moçambicanos da minha idade e mais velhos também se lembram: “Quem somos nós? Os meninos de ninguém”

    Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s