Receita que a Nigella não dará …

 

Noutras partes de África podem ser uma praga, no Uganda são uma Delikatesse.

Em Kampala, nesta altura do ano toda a gente corre atrás deles. Quem os apanha pode ganhar num dia, o que outros ganham em meses. É a época dos “Nsenene”, os Homorochoryphus nitidulus, para os não zoólogos, gafanhotos, que caem sobre a cidade como um cobertor alado. É uma verdadeira festa, quase um Natal antecipado. Para um europeu esta especialidade ugandesa pode causar algum cepticismo, que se esvanece rapidamente depois de os provar. Sabem a uma mescla de batata frita e camarão. E são uma fonte de pura proteína. Há várias formas de os preparar. Primeiro arrancam-se-lhes as asas e as pernas, depois faz-se um refogado com cebola e alho, acrescenta-se-lhe água, sal e os gafanhotos, deixa-se cozer dez minutos e em seguida vão ao forno para ficarem estaladiços. Nos semáforos de Kampala vendem-se simplesmente fritos, em doses que custam 5000 Schillings, quase dois euros.

E estranho? É, mas o consolo mais barato da humanidade é a comida. E nós que comemos caracóis não temos o direito de franzir a testa.


3 thoughts on “Receita que a Nigella não dará …

  1. Oi Helena!
    Com certeza não temos mesmo o direito de dizer nada! Aliás, eu, particularmente, adoraria provar os tais gafanhotos, com certeza! Adoro estas comidas exóticas, rsrsrs. Se tem gente que come, porque não posso comer também? Adorei esse post!
    Beijos
    Carla

    Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s