Escravos do ouro

 

Por umas migalhas de pó de ouro arrisca-se a vida nas montanhas de Chimanimani. Milhares de mineiros desesperados deslocam-se para esta região moçambicana, muitos oriundos do vizinho Zimbabué, perseguindo um sonho de riqueza. Para a maioria deles o sonho acaba em tragédia. Trabalho escravo, “alojamento” em campos temíveis – um desses campos ganhou mesmo o nome de Burundi , devido à violência por lá grassa – o Anapohles, mosquito portador da malária. Ao final do dia os dólares contam-se pelos dedos de uma mão e a barriga enche-se de nada, ou pouco mais que nada. Com sorte ao fim-de-semana há dinheiro para um gin e uma prostituta.

É só para lembrar que a escravatura não é um problema apenas do passado, porque hoje é o Dia Internacional para a Abolição da Escravatura.

 PS- As fotografias são de Toby Selander, a colagem é minha.


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s