Lulismo

Depois de oito anos no cargo o cidadão multideológico, como se define, sai envolto em tal popularidade, que alguns esperam vê-lo levitar a qualquer momento, escreve-se na hoje na Visão*. O cineasta Michael Moore classifica-o como “um verdadeiro filho da classe trabalhadora da América Latina” e disse que o que “Lula deseja para o Brasil é o sonho americano”. Um sonho que não está ao alcance de qualquer um. O sonho da transformação em processo de perfeição.

Toda a gente fala no legado de Lula da Silva, o presidente brasileiro é um dos políticos mais admirados, carismáticos e desempoeirados dos últimos tempos – o que lhe valeu por três vezes a distinção de homem do ano, em 2009, pelo Le Monde e El Pais e em 2010 pela Time – e esquece-se de mencionar que o mito Lula tem algumas zonas de sombra. Casos arquivados nas gavetas e condenados ao esquecimento.

Lula da Silva tem o mérito de ter reduzido drasticamente a pobreza, de ter posto a economia a crescer entre 4,5 a 5,5 por cento por ano – crescimento que a manter-se a este ritmo fará do Brasil em 2016 a quinta maior economia mundial – e de ter criado milhões de empregos. Com Lula o Brasil tornou-se num parceiro indispensável à mesa das negociações internacionais, seja sobre o clima, comércio ou proliferação nuclear. O Brasil está a caminho de ser tornar numa superpotência. Pode faze-lo como único dos BRIC sem dispor da arma nuclear?

Quando nos admiramos com a prosperidade brasileira – infelizmente o combate à corrupção nunca foi uma das prioridades de Lula - convém não perder de vista que o milagre económico começou com Fernando Henrique Cardoso, um democrata exemplar e companheiro do presidente na luta contra a ditadura. Foi Cardoso que equilibrou as contas públicas e venceu o pesadelo da hiperinflação. Lula herdou uma economia reformada e políticas sociais de vanguarda que lhe permitiram aprofundar a liberalização e desregulamentação económica, contra posições ideológicas que havia mantido durante anos. A sua missão foi, escreve-se na Visão, construir um “capitalismo moderno”. Um “capitalulismo”?

Desvalorizando a importância da decência democrática Lula manteve uma política externa cínica, não olhando a meios para afirmar o seu país como potência global. Só assim se explicam os negócios com o Zimbabué e a China, os abraços a Hugo Chavez, aos irmãos Castro e a defesa de Mahmoud Ahmadinejad. Neste pântano onde se enterra a ética,  nesta política florentina de alianças e conivências, fica o lado sombra do presidente brasileiro.

Quando se faz a apologia do lulismo importa lembrar que até os mitos têm pés de barro.

 

* Refiro-me à entrevista a Lula da Silva feita por Juan Luís Cebrian, publicada a 13.05.2010

About these ads

3 Comentários

Filed under Brasil

3 responses to “Lulismo

  1. Todo mundo tem pes de barro, pois, como dizem, o poder corrompe. Dizer que o Lula só fez dar continuidade ao que FHC fez é minimizar que o FHC também ficou 8 anos no poder e fez muito menos. Mudanças que estão acontecendo no Brasil, não acontecem em uma unica decada é um processo e nada mais óbvio que assim o fosse. Pra ele ter sido eleito há 8 anos é porque a maioria dos eleitores não estava satisfeita com a política de falácia e de elite do então incapaz sociologo, que fez tão pouco pela sociedade. Corrupção existe em todas as esferas de poder e da sociedade em qualquer lugar do mundo, ainda mais num país de dimensões continentais com N partidos políticos. Cabe saber se o bem que se faz de alguma forma compensa o mal, se não, perde a democracia. Eu pessoalmente não acredito que o Brasil tenha interesse em desenvolver armas nucleares e sim energia nuclear. Seus contatos com os renegados e antidemocraticos lideres politicos é ao meu ver pura capacidade de tentar se dar bem com todos porque o Brasil sempre foi um país deixado de lado e explorado pelos países desenvolvidos. Esta posição só mudou com o Lula porque ele não se curva a pressão do “patrão”, coisa que ele aprendeu a fazer antes de se tornar presidente. Pura capacidade de negociação, que demonstra que ele não come nas mãos de quem dita as regras. Aliás, o Sr. Obama foi quem disse que ele é o homem. Temos que tomar cuidado com as grandes fontes de informação do Brasil, como Veja, Globo, Folha, Estadão, Época etc. Eles fazem parte do “PIG”(partido da imprensa golpista) e tentam de qualquer forma derrubar o atual presidente. Infelizmente, é deles que vem a maioria das matérias divulgadas no exterior. Hoje em dia, a forma mais imparcial de jornalismo no Brasil é a blogosfera.
    Já deu pra perceber que apito eu toco, não é? hihihi (Já o Amanzor toca outro, então por isso que eu não discuto política com ele ou na frente dele)

  2. Cabe dizer que fale o que falar a proliferação de armas nucleares no Brasil é proibida pela constituição de 1988 e é ingenuidade ou sacanagem achar que o Presidente da Répública de um país democrático como o Brasil, seja corrupto e falso (porque abafou casos de corrupção, que aliás não foram esquecidos) ao ponto de driblar a constituição, ainda mais sendo o Lula. Michael Moore disse que o sonho que o Lula tem para o Brasil é o que os próprios Estados Unidos estão sendo incapazes de manter, se tornando cada vez mais parecidos com o Brasil, ou seja, com um país de terceiro mundo. Todo mundo tem um esqueleto guardado no armário e pessoas públicas tem os seus escavados por todos.
    Bjs

    • Eta! És mais lulista que o Lula ; )

      Beijos

      PS- Reconheco o merito do Lula e as medidas sociais. O que eu nao suporto é hagiografias de políticos. ( e teclados sem acentuacao e cêdilhas… mas isso dá outro post)

Deixar uma resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

WordPress.com Logo

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Log Out / Modificar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Log Out / Modificar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Log Out / Modificar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Log Out / Modificar )

Connecting to %s