Filhos do UNHCR

 Escrevo sentada no chão. O vento fustiga a a areia em meu redor, tudo esvoaça. Presságio ténue do que podem ser as tempestades secas aqui em Kakuma.Sacos de plástico prendem-se na cerca de arame e nos espinhos dos arbustos. Estranhas flores transitórias. É de transição, de duração, o mais efémero dos sentimentos, que quero falar.  … More Filhos do UNHCR

Crónica queniana 

A luz de Nakuru é como a luz de Lisboa. Densa.  O tuktuk que me transporta vai navegando por entre os carros parados. O trânsito é caótico. Carros que são quase achados arqueológicos, todo-o-terreno de última geração, ciclotáxis, boda-boda.  Nalgumas zonas do Quénia, no inverno, quando a chuva é feita de cordões grosso, o preço … More Crónica queniana