Tag Archives: Dia da Mulher

Dia da Mulher Moçambicana

 

Mulheres moçambicanas retratadas por Ismael Miquidade

7 de Abril é dia da mulher moçambicana, a data da morte de Josina Machel ( a segunda mulher de Samora ). A data poderia ser outra. Pense-se em Celina Simango,  fundadora da Lifemo, a organização feminina que precedeu o Destacamento Feminino da Frelimo e, claro, a Organização da Mulher Moçambicana simbolizada por Josina Machel.O problema é que se  sabe que Celina foi fuzilada, mas se  ignora a data. Problema ainda maior, é em Moçambique só é heroí quem a Frelimo quer.

A todas a mulheres de Moçambique, a todas as heroínas sem rosto, a todas as minhas amigas aí, deixo parte de  um poema de Noémia de Sousa

Nas noites frias,

sem batuques, sem lua,

as estrelas continuaram brilhando insensíveis,

através da cacimba, suspensas dos postes da rua.

Minha consolação

Minha Mãe silenciosa oferecendo-me suas costas nuas,

mornas como o sol de inverno…

Minha Mãe vencendo a cacimba e a humilhação,

para me vir belekar

humilde e sofredora, com as suas tocantes canções de acalentar!

 

PS-Obrigada a Carlos Serra .

4 Comentários

Filed under Mocambique, Mulheres

Dia da mulher visto por homens IV

(Cá vai ele, ainda que com um considerável atraso; são breves palavras escritas no metro)
Em 365 anuais, um dia da? para? sobre? como? Mulher pode bem ser uma tautologia, um círculo fechado sobre si mesmo, um dédalo típico da ficção científica.
Pode se:
  • nos fecharmos no mundo dos direitos adquiridos
  • tomarmos para nós, como óbvio e imediato, o que em larga escala não o é para milhões
  • a cartografia igualitária for desenhada à imagem e semelhança do que apenas supomos
  • for apenas lido como vã celebração institucional, para escoar orçamento e souvenirs
Celebração ou Empenho? Um dia não será tanto o seu nome, mas o que fazemos com ele. Em rigor, poderá bem ser a forma como dele cuidamos nos restantes 364.

Paulo Nuno Vicente
journalist | documentarist | phd student

Deixe o seu comentário

Filed under Coisas do Mundo

Para as minhas amigas

Contribuição divertida para o Dia da Mulher enviada pela minha querida amiga  Arlete Soffiatti.

ORAÇÃO

“Senhor, me ajude a nunca desistir de ser mulher.
Coloque um espelho no meio do meu caminho entre a lavanderia, o supermercado, o sapateiro, o colégio e a locadora.
E que, ao me olhar, eu goste do que veja.
Não deixe que eu passe uma semana sem usar um batom bem vermelho, uma bota bem alta ou um jeans bem justo.
Proteja meus cachos do vento e os brincos e anéis dos olhares invejosos.
Nunca deixe faltar na minha vida comédias românticas e boas depiladoras.
Se eu estiver com vontade de chorar, faça com que eu chore um dilúvio. E que tenha saído de casa sem pintar o olho.
Para cada dia de TPM, me dê uma vitrine com sapatos lindos.
Já que eu nunca pedi milagres, faça que minhas celulites sejam ao menos discretinhas. Me dê saúde, tempo livre, silêncio.
E que nunca falte absorvente na minha bolsa.
Nos engarrafamentos, faça com que eu ligue o rádio e esteja tocando minha música preferida.
Dê forças para eu insistir que meus filhos comam salada, digam “por favor” e “obrigado”, limpem a boca no guardanapo, façam as pazes e puxem a descarga.
Cegue meus olhos para as sujeiras nos cantos e os brinquedos no meio da sala (eles vão estar sempre lá, isso eu já vi).
Ajude para que eu chegue do trabalho e ainda consiga brincar, ver desenho, contar história ou fazer cócegas!
E se eu não tiver a menor condição de me manter em pé, faça com que meu filho chegue dormindo da escola.
Em dias difíceis, me dê persistência para seguir na dieta.
Dê também, firmeza para os seios…
Proteja minhas poucas horas de sono e não me julgue mal caso eu não acorde no meio da noite para cobrir meus filhos.
Não deixe que a minha testa fique tão franzida a ponto de parecer uma saia plissada. E eu, uma louca estressada.
Faça com que o sol seja meu personal trainer, meu complexo de vitaminas, meu carregador de bateria, mas quando eu pedir um diazinho de chuva, não pergunte por quê.
Para cada batata quente no trabalho, me dê um café recém-passado.
Entenda  quando eu rezo para cancelarem uma reunião (não é gastar reza à toa, pode ter certeza).
No meio de tudo isso, faça com que eu ache tempo para virar namorada de novo, ir no cinema, jantar fora, beijar na boca, dormir abraçadinha.
Ilumine o espelho do banheiro e proteja minhas pinças, meus cremes e meus segredos.
Ajude a não faltar gasolina e não furar o pneu e, por favor, afaste os motoqueiros do meu retrovisor.
Senhor, por pior que seja o meu dia, faça com que ele termine, e não eu.
Amém.”

2 Comentários

Filed under Coisas do Mundo

Ainda o dia da mulher

Os dias comemorativos são formas de não entrarem nos esquecimentos determinados assuntos, a água, os idosos, as crianças, etc…

É pena termos de usar este e outro tipo de estratagemas para pelo menos uma vez no ano trazermos ao nosso dia a dia estas questões que deviam estar permanentemente nas nossas prioridades…

Mas, será que as mulheres precisam, actualmente, de um dia para nos lembrarmos delas?

É verdade que os estudos continuam a indicar várias desigualdades entre os homens e as mulheres mas, por exemplo, será que o caminho é a imposição de cotas de participação? E porque não nos salários…

Mas, sinceramente não sei qual o melhor caminho, pois há semelhança com outras áreas, trata-se de uma questão cultural que não será corrigida com dias nem cotas… apenas com profundas mudanças culturais…

De qualquer modo, parabéns às mulheres…

Augusto Salgado

Deixe o seu comentário

Filed under Coisas do Mundo

Dia da mulher visto pelos homens III

Enviado pelo Rui Zink.

O que eu sempre soube acerca das mulheres mas ainda assim tive de perguntar

Tratam-nos mal mas querem que as tratemos bem. Apaixonam-se por serial-killers e depois queixam-se de que nem um postalinho. Escrevem que se desunham. Fingem acreditar nas nossas mentiras desde que tenhamos graça a pregá-las. Aceitam-nos e toleram-nos porque se acham superiores. São superiores. Não têm o gene da violência, embora seja melhor não as provocarmos. Perdoam facilmente mas nunca esquecem. Bebem cicuta ao pequeno-almoço e destilam mel ao jantar. Têm uma capacidade de entrega que até dói. São óptimas mães até que os filhos fazem dez anos, depois perdem o norte. Pelam-se por jogos eróticos mas com o sexo já depende. Têm dias. Têm noites. Conseguem ser tão calculistas e maldosas como qualquer homem, só que com muito mais nível. Inventaram o telemóvel ao volante. São corajosas e quando se lhes mete uma coisa na cabeça levam tudo à frente. Fazem-se de parvas porque o seguro morreu de velho e estão muito escaldadas. Fazem-se de inocentes e (milagre!) por esse acto de vontade tornam-se mesmo inocentes. Nunca perdem a capacidade de se deslumbrarem. Riem quando estão tristes, choram quando estão felizes. Não compreendem nada. Compreendem tudo. Sabem que o corpo é passageiro. Sabem que na viagem há que tratar bem o passageiro e que o amor é um bom fio condutor. Não são de confiança, mas até a mais infiel das mulheres é mais leal que o mais fiel dos homens. São tramadas. Comem-nos as papas na cabeça, mas depois levam-nos a colher à boca. A única coisa em nós que é para elas um mistério é a jantarada de amigos – elas quando jogam é para ganhar. E é tudo. Ah, não há ainda mais uma coisa. Acreditam no Amor com A grande mas, para nossa sorte, contentam-se com pouco.

Deixe o seu comentário

Filed under Coisas do Mundo

Maldadezinha

 

Tira enviada por um amigo. Quem tem amigos assim…Uhmm

2 Comentários

Filed under Coisas do Mundo

O dia da mulher visto por homens II

A opinião de Joaquim Figueirinha, Programa de Voluntários da ONU, Bona

Sou contra a maioria dos dias comemorativos. Normalmente são um estigma.

Contudo, não deixei de sugerir ao meu grupo social oferecer, hoje, uma singela flor a cada uma das perto de 100 mulheres que, connosco, trabalham aos mais diversos níveis.

 E como os sentimentos da igualdade e do respeito devem ser parte intrínseca de cada um, espero que, um dia, só falemos deste 8 de Março como uma memória longínqua e, não tenhamos mais de escrever sobre o tema.

 Não me prolongarei mais nas palavras, passando a desejar-Vos, Mulheres, muitos felizes dias plenos de amor, amizade e paz.

 Atentamente,

Joaquim Figueirinha

Deixe o seu comentário

Filed under Coisas do Mundo